Senac - RS
Logo Senac-RS Logo Fecomercio
encontre um curso/unidade

Ex-aluno do Senac é premiado por projeto turístico sustentável no RS

Em 2006, Emiliano Brugnera dava os primeiros passos em direção ao reconhecimento profissional, quando iniciou a graduação em Tecnologia em Hotelaria no Senac Rio Grande do Sul. Dez anos depois, o empresário colhe os frutos de sua trajetória baseada na responsabilidade ambiental, social e econômica.

Emiliano é responsável pela área de marketing do Cambará Eco Hotel, um projeto familiar no interior gaúcho que ganhou destaque nacional ao conquistar, em novembro, a principal categoria do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, evento promovido pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo que reúne as principais iniciativas de turismo sustentável do Brasil.

"O prêmio reconhece, enobrece e enriquece o trabalho feito até o momento, dando uma visibilidade maior para o hotel, nos projetando como referência no tema da sustentabilidade e criando uma responsabilidade maior perante essa nossa missão", diz Emiliano.

Como parte da premiação, o Cambará Eco Hotel receberá um vídeo produzido pelo Ministério do Turismo e será integrado ao mapa Turismo Sustentável: Iniciativas Premiadas, ferramenta que concentra informações e contatos de todos os projetos que já se destacaram ao longo das cinco edições do evento.

O hotel também foi contemplado com uma bolsa de estudos do Senac para a pós-graduação a distância Inovação e Empreendedorismo em Negócios Turísticos Sustentáveis, que marcará o reencontro de Emiliano com a instituição de ensino.

"Espero buscar conhecimento para aperfeiçoar a nossa gestão sustentável, possibilitando cada vez mais a visão sistêmica com inovações para serem aplicadas na melhoria do empreendimento", afirma Emiliano.

Viagem transformadora 
O turismo sustentável tem o aspecto transformador entre suas principais características, beneficiando não somente o meio ambiente e a comunidade local, como também os viajantes que entram em contato com essa realidade.

Curiosamente, foi uma experiência similar que despertou a família Brugnera para a oportunidade de construir o hotel em Cambará do Sul, localizado a 185 quilômetros de Porto Alegre.

"Fomos visitar o cânion Itaimbezinho, no Parque Nacional de Aparados da Serra, e na volta, próximo à cidade de Cambará do Sul, avistamos um lago que chamou a atenção do meu pai, que teve a primeira ideia de construir um empreendimento turístico no local devido as excelentes características que o ambiente proporcionava", relembra Emiliano.

A família, então, construiu um restaurante e um shopping rural para dar sustentação financeira ao projeto. Mas foi após dois anos, durante a graduação, que Emiliano teve contato com conteúdos que o ajudaram no desenvolvimento sustentável do hotel. "Fui apresentado à norma ABNT NBR 15401 - Sistema de Gestão da Sustentabilidade em Meios de Hospedagem, e comecei a aperfeiçoar o projeto baseado nessas diretrizes", conta o empresário.

Em janeiro de 2008, o hotel iniciou suas operações, ampliando os processos e ações sustentáveis em dezembro de 2009. Atualmente, o local conta com tratamento de esgoto anaeróbico, captação de água da chuva por meio de cisternas para uso na lavanderia, jardinagem e banheiros, aquecimento de água por energia solar, separação de lixo seco e orgânico, reaproveitamento dos resíduos recicláveis, eficiência energética com sensores de presença e lâmpadas led.

O hotel ainda prioriza fornecedores locais, contrata e treina moradores da região e imigrantes, patrocina projetos sociais no entorno e participa de entidades promovendo ações para o desenvolvimento do município. Além disso, realiza parcerias com escolas e faculdades, compartilhando práticas sustentáveis, e mantém trilhas na mata de araucárias, plantando 3,5 mil mudas de árvores e arbustos nativos.

Desafios
Emiliano, no entanto, lembra que foi preciso superar diversos percalços ao longo do caminho, como a resistência de instituições financeiras, que não acreditavam na ideia do Cambará Eco Hotel.

"Na construção, também precisamos convencer o engenheiro a seguir o projeto definido, por mais oneroso que fosse. Ele não entendia o porquê de fazer daquele jeito, já que gerava um custo 30% maior na obra", conta. "Outro desafio foi a adequação dos procedimentos dos colaboradores à gestão sustentável, o que exige muitos treinamentos contínuos e sensibilização para o tema", afirma.

Mesmo com esses obstáculos, Emiliano vê o turismo sustentável como uma boa área para investir. "Vale a pena. O investimento inicial é alto, mas o retorno econômico vem em um tempo menor. Além de outros benefícios, como as práticas disseminadas e a possibilidade de fazer a diferença no local escolhido", diz.

Para quem pensa em atuar no setor, o empresário indica pesquisar informações concretas e buscar se profissionalizar para realizar uma gestão voltada para um projeto sólido, bem planejado e que respeite os pilares da sustentabilidade.

Saiba mais sobre a pós-graduação Inovação e Empreendedorismo em Negócios Turísticos Sustentáveis e conheça os demais cursos na área de turismo oferecidos pelo Senac EAD.