Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

A Entrevista de Seleção

por Ângela Cândido

Estudos nos mostram que a entrevista é o método mais amplo utilizado em seleção de pessoal. Apesar da subjetividade e imprecisão, acreditamos que a entrevista é a técnica que melhor produz os resultados esperados neste tipo de atividade, de forma que o entrevistador utiliza técnicas para estimular e verificar as possíveis causas e reações comportamentais do indivíduo. O candidato deve ser abordado de maneira planejada, sistemática, prática, sendo o primeiro passo para a avaliação do desempenho, desenvolvimento e plano de carreira de um profissional. O desafio é aliar as necessidades do cargo e da empresa à satisfação pessoal do candidato.

Várias etapas devem ser seguidas na condução de uma entrevista de seleção, observando critérios como conhecer os requisitos da função, a cultura da empresa e estabelecer o planejamento do processo evitando improvisações. Como entrevistador, deve-se observar as relações interpessoais, entender de pessoas e "quebrar" a ilusão de que podemos conhecer os outros assim como quem desvenda mistérios numa "bola de cristal". Então, consideramos que uma entrevista bem conduzida é um importante instrumento na seleção de pessoas nas empresas e não podemos deixar de observar atentamente as características marcantes, expectativas, potenciais e limitações do candidato. Entrevistar pressupõe o desenvolvimento da nossa percepção empática, ou seja, é preciso reconhecer as simpatias para chegarmos a uma postura de empatia, investindo assim em nosso autoconhecimento.

Durante o processo da entrevista de seleção consideramos, conforme estudos, que o entrevistador deve se manter em postura tranquila, evitar fazer muitas anotações, focar sua atenção se permitindo escutar, demonstrando interesse pela fala do entrevistado. É importante que o candidato sinta que o entrevistador está preparado emocionalmente, que mantém comportamento de cortesia, profissionalismo e atenção. A descrição das características do candidato também é fundamental na seleção e devemos focar as competências e habilidades que o candidato possuiu para concorrer à vaga solicitada. Na condução da entrevista, o entrevistador deve ter a capacidade de ouvir integrando sinais verbais ou não verbais na busca de significado, criar um clima positivo tipo "quebrar o gelo", deixar o entrevistado à vontade para que ele se sinta menos ansioso. Lembramos que é cabível questionar, mas ter o cuidado para não entrar na discussão do assunto, mantendo a percepção e mobilidade de pensamento. 

A entrevista individual tem como objetivos captar subsídios para decidir quais candidatos corresponde melhor às necessidades da organização e do cargo, fornecer informações mais detalhadas ao candidato sobre o cargo e a organização, deixar o candidato com uma impressão favorável da empresa, seja ele ou não a pessoa admitida. Ao final, abre-se um espaço para que o candidato esclareça suas dúvidas ou faça comentários e também é o momento para informar sobre o andamento do processo seletivo, mantendo a cordialidade. O entrevistador deve ter cuidado para não selecionar candidatos simplesmente por intuição, em cima da hora ou tapar buracos, selecionando qualquer pessoa, mesmo que tenha condições mínimas para exercer uma determinada função.

O processo de seleção de pessoal pode ser considerado muito importante e os riscos de contratar alguém fora do perfil da vaga pode gerar a perda de imagem da empresa, desmotivação da equipe e aumento nos custos com treinamentos. Por isso o entrevistador deve tomar muito cuidado na contratação dos novos colaboradores, como por exemplo, respeitar a integração com o solicitante da vaga em aberto, não ceder a preconceitos, ter um planejamento antecipado da entrevista, observando qual o tipo de entrevista que utilizará, investir tempo no processo e compartilhar as decisões.

Outro fator primordial, durante todo o processo seletivo ao qual estaremos inseridos, é a Ética. Então, temos que ter cuidado para não influenciar na opinião dos gestores, utilizando de todas as ferramentas necessárias para termos mais subsídios na hora da escolha do candidato, que estará naquele determinado momento mais capacitado para determinada função. O entrevistador também deve prestar informações sobre a empresa e o cargo, passando-lhe uma imagem positiva, reforçando, assim, seu interesse sobre a mesma. Para isso deve estar atualizado e conhecer muito bem a organização quanto a seus valores, crenças, a cultura e a área que necessita do profissional.

Ao final da entrevista, o entrevistador deve deixar claro o seu encerramento, mas com delicadeza, informando-lhe como e quando terá retorno referente à entrevista. Após a saída do candidato da sala, o entrevistador deve proceder ao preenchimento da avaliação, o que facilita o processo pois as informações são recentes. Em seguida, pode avaliar o perfil do candidato, se há compatibilidade com a vaga ou não e qual sua colocação referente aos outros candidatos.

Consideramos que quanto ao aspecto da devolução da entrevista, ainda as empresas têm a se desenvolver, pois é comum não oferecerem feedback aos candidatos não selecionados. Lembramos que durante este processo os candidatos criam expectativas e a devolução de seu desempenho como o agradecimento de seu interesse é um ato de respeito e consideração por aqueles que, de alguma forma, dispensaram tempo e disposição aquele processo de seleção.

Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018