Senac

Rio Grande do Sul

Artigo

Quanto tempo dedicar para os investimentos?

por Marcelo Pinto - professor de Administração

Uma das coisas que o pequeno investidor menos se ocupa é com os investimentos. Na maior parte do tempo, não há necessidade de fazer nada em relação aos investimentos. A ocupação maior do pequeno investidor fica concentrada no trabalho, atividade física, alimentação e com a família. Os investimentos são, pontualmente, acompanhados.

Não poderia ser diferente. Caso os investimentos ocupassem uma grande parcela do tempo do investidor, não seria acessível a todas as pessoas. Seria como se fosse um trabalho, que exige tempo e dedicação.

A construção de patrimônio tem como função precípua a de gerar tranquilidade. Quando os investimentos causam transtornos e excesso de ocupação não estão corretos. A execução do investimento se dá por meio da prática diária de comportamentos que nos traga satisfação. Independente do momento, até mesmo naqueles desconfortáveis em que a vida nos reserva, agiremos de maneira que estejamos satisfeitos com nossas ações.

A simplicidade, o meio-termo, o equilíbrio, a calma são alguns fatores que contribuem para a satisfação em meio a tantas situações que nos cabe enfrentar diariamente.  Dessa forma, o investidor dedica o seu tempo para a evolução como pessoa através da aplicação de comportamentos, a fim de que haja contentamento com aquilo que está em seu controle. O objeto dos investimentos são os comportamentos dotados de racionalidade. O objetivo dos investimentos é a execução diária de tais comportamentos.

A quantidade de dinheiro nos investimentos é consequência, que, por vezes, foge de qualquer tipo de controle ou interferência. Dessa maneira, o foco deve estar nos comportamentos, que, por sua vez, estão sob nosso controle.

Serviços
Institucional
Contato
Top of mind 2018
Top de marketing ADVB 2018
Great Place to Work 2018
Top Ser Humano 2018
Nós apoiamos o Pacto Global
Melhores em Gestão 2018